sábado, 19 de abril de 2014

PRINCIPAIS PLANTAS MEDICINAIS BRASILEIRAS - LETRA P

ATENÇÃO: As informações contidas neste blog apresentam apenas finalidades informativas e não devem ser usadas para diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença e muito menos substituir cuidados médicos adequados.



Pimenta (Capsicum frutescens) 


PALMA CHRISTY(Ricinus comunis): Famoso laxante de onde se origina o óleo de rícino.

PARIETÁRIA (Parietária officinalis): Muito usada em males dos rins, inflamações da bexiga, dissolve cálculos e alivia dores.

PARIPAROBA (Piper umbellatum): Polivalente, age contra resfriados e asma e também contra os males do figado e baço, aliviando azia, úlceras e hemorróidas. Mastigar a raiz alivia dor de dente.

PATA DE VACA (Bauhinia forficata): Popularmente indicado na diabetes, como auxiliar na redução do colesterol, em dietas de emagrecimento. A planta é diurética, usada também para problemas do fígado, intestinos, estômago e principalmente dos rins.

PAU TENENTE (Quassia amara): Também conhecida como quina, quassia, quassia da jamaica, pau amargo, pau de surinã . Usada como tônico hepático, estimulante do aparelho digestivo, auxiliar no tratamento de cólicas hepáticas, para dietas de emagrecimento, distúrbios gastrointestinais, má digestão, eliminação de parasitas intestinais.

PEDRA UME CAÁ (Myrcia sphaerocarpa): De origem amazônica, goza da fama de “insulina vegetal”, empregada no tratamento da diabetes, para ajudar a baixar a taxa de açúcar e colesterol, tratar aftas, em dietas para emagrecimento, problemas renais, hemorróidas, distúrbios do útero e ovários.

PHYSALIS (Physalis angulata): Pertence àfamília das Solanáceas, a mesma do tomate, da batata, do pimentão e das pimentas e é originária da Amazônica e dos Andes. Rica em vitaminas A, C, fósforo e ferro, além de alcalóides e flavonóides, na medicina popular é conhecida por purificar o sangue, fortalecer o sistema imunológico, aliviar dores de garganta e ajudar a diminuir as taxas de colesterol. A população nativa da Amazônia utiliza os frutos, folhas e raízes no combate à diabetes, reumatismo, doenças da pele, bexiga, rins e fígado. A planta tem sido estudada também por fornecer um poderoso instrumento para controlar o sistema de defesa do organismo, diminuindo a rejeição em transplantes e atacando alergias. Pesquisadores da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) da Bahia identificaram substâncias com esse potencial na Physalis angulata e já solicitaram patente sobre o uso delas. Testadas por enquanto em camundongos, espera-se que as fisalinas (chamadas de B, F e G) tenham um efeito tão bom quanto o das substâncias usadas hoje para controlar o sistema imune, mas com menos efeitos colaterais, quando forem usadas em pacientes humanos.

PICÃO PRETO (Bidens pilosa): Usada popularmente contra alergias, amidalites, anti-séptico bucal, asma, boca amarga, bronquite, catarros, colesterol, gastrenterite, hepatite, icterícia, indigestão, infecções do estômago e rins, infecções urinária e vaginal, intoxicação alimentar, pâncreas, úlceras gastroduodenais.

PIMENTA (Capsicum frutescens): Além de ativar a digestão e o metabolismo, estimula a circulação e combate a gota.

PITANGUEIRA (Stenocalys michelli): Muito utilizada contra diarréia em crianças, bronquite, febre e ainda abaixa a pressão. É calmante infantil e bom para os nervos.

POEJO (Mentha pylegium): Bom para gripes e resfriados, no tratamento da bronquite, asma e tosse, rouquidão afecções gástricas. Digestivo, evita a formação de gases intestinais. Funciona como repelente de insetos e como suavizante nas picadas de mosquitos e pulgas.

PORANGABA (Casearia sylvestris): Conhecida por ser diurética, não laxativa, depurativa, por ajudar na eliminação de toxinas, do excesso de líquido e ativar o metabolismo. Por essa razão é muito utilizada como auxiliar nas dietas de emagrecimento. Popularmente é indicada para diminuir o colesterol, reduzir o inchaço das pernas e estimular a circulação.

PRIMULA (Oenothera biennis)O segredo do óleo da prímula está nos ácidos graxos poliinsaturados, presentes na sua composição, que não são produzidos naturalmente pelo organismo e precisam ser obtidos na dieta. Deles o mais importante é o chamado ácido gamalinolênico (GLA). Além de fazer parte da estrutura das membranas celulares, o GLA origina a prostaglandina E1, uma substância que ajuda a equilibrar os hormônios femininos, diminuindo os impactos da TPM, afirmam os pesquisadores.

PSYLLIUM (Plantago psyllium L., sin.: Plantago ovatae): O Psyllium age como um laxativo mecânico suave, emoliente e demulcente. É indicado em casos de obstipação crônica, coadjuvante da evacuação intestinal em casos de hemorróidas, gravidez, convalescença, períodos pós-operatórios e senelidade. Também em colites e diverticulites. Popularmente é indicado como complemento em dietas de emagrecimento, tendo em visto que sua ingestão antes das refeições favorece a um aumento na sensação de saciedade, bem como liga-se a moléculas de carboidratos simples impedindo sua absorção a nível intestinal. Foi estudado por RIGAUD et al. (1998) em relação aos seus efeitos sobre a saciedade em dietas de baixa caloria. No estudo verificou-se que pelo fato de ocorrer um aumento na viscosidade do alimento quando em contato com as fibras solúveis do Psyllium, reduz-se consequentemente a interação entre os nutrientes dos alimentos e as enzimas digestivas, e com isto também ocorre um retardamento na absorção de alguns substratos energéticos pelo intestino.

PULMONÁRIA (Pulmonaria officinalis): Como diz seu nome é indicado nas doenças do pulmão, é um eficiente expectorante, misturado com mel de abelhas. Facilita a respiração. Indicado a pessoas que trabalham com poluentes.

 FONTE: GUIA DAS PLANTAS MEDICINAIS