sábado, 19 de abril de 2014

PRINCIPAIS PLANTAS MEDICINAIS BRASILEIRAS - LETRA M

ATENÇÃO: As informações contidas neste blog apresentam apenas finalidades informativas e não devem ser usadas para diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença e muito menos substituir cuidados médicos adequados.


Melissa (Melissa officinalis) 


MAÇà(Malus domestica): A fibra de maçã é rica em pectina, uma fibra solúvel que facilita a digestão das gorduras e proteínas, além de ajudar a regular a absorção dos açúcares, diminuindo a sensação de fome e o acúmulo de gorduras. Ao melhorar a eficiência do metabolismo, faz com que o organismo queime calorias de um modo mais eficiente. A maçã fornece vitaminas, minerais, aminoácidos, enzimas e outros nutrientes importantes para a saúde. É auxiliar para o bom funcionamento do fígado, o que ajuda na desintoxicação do organismo e na digestão dos alimentos gordurosos. As fibras absorvem água, contribuem para o bom trabalho do intestino e para a redução dos níveis de colesterol. O alto teor de potássio contido na polpa da maçã é excelente para combater o sódio, responsável pela retenção de líquidos no organismo.

MACA PERUANA (Lepidium meyenii): Conhecida como "ginseng dos andes" e "viagra dos incas", a planta é tradicionalmente considerada um tônico poderoso capaz de melhorar o desempemho generalizado do organismo. Na medicina popular é usada para aliviar os sintomas da menopausa, para problemas de fertilidade e potência sexual, para o cansaço mental, a falta de energia em adultos e idosos. A Nasa tem utilizado a raiz da maca em pó como parte integrante da nutrição de seus astronautas.
É considerada uma planta adaptógena, isto é, fortalece as defesas do organismo, melhora o funcionamentondo cérebro e dá energia extra, pois tem ação tônica e revigorante.

MACELA (Achyzocline satureoides): Planta aromática com inflorescências usadas em travesseiros com finalidades calmantes. Em chá é indicado para acalmar cólicas abdominais. Também conhecida como macela ou marcelinha do campo, é usada na medicina popular para tatar problemas gástricos e digestivos, males do pâncreas e da vesícula, colites, inapetência, desinterias, distúrbios menstruais, enjôos, náuseas e vômitos. Também são conhecidos seus poderes como sedativa e analgésica. Externamente é usada para acalmar reumatismos e dores musculares. Estudos realizados por vários centros de pesquisas em alguns países americanos têm confirmado várias destas indicações. Experimentos em ratos comprovaram efeitos analgésicos, anti-inflamatório (a população do sul do Brasil costuma fazer gargarejo com flores de macela para inflamação de garganta) e relaxante muscular. Estudos in vitro demonstraram que a planta possui atividade contra alguns moluscos e alguns microorganismos como Salmonella, E. coli, e Staphylococcus, comprovando em parte o motivo de ser empregada para o controle da diarréia, disenteria e outras infecções. Recentemente demonstrou-se que a macela possui ação colerética, auxiliando na diminuição do colesterol e até mesmo da agregação plaquetária. Mas o que tem mais chamado a atenção de alguns pesquisadores são as propriedades estudadas como antiviral, antitumoral e imunoestimulante. Experimentos realizados indicaram que o extrato das flores inibiu o crescimento de células cancerosas in vitro em até 67%, mostrando um grande potencial para a elaboração de medicamentos para esta finalidade.

MALVA (Malva sylvestris)Indicada para problemas respiratórios, favorece a cicatrização e processos gastrointestinais, com benefícios à pele. A malva é usada popularmente como expectorante, emoliente, diurética e calmante. Indicada para problemas da garganta, dos brônquios e inflamações dentárias, Funciona como suavizante nas picadas de insetos e irritações da pele. As malváceas compreendem quase mil espécies, que se distribuem dos trópicos ao ártico. O nome da família vem do grego "malake"ou suave, uma vez que a planta é conhecida por acalmar.

MAMICA DE CADELA (Zanthoxylon rhoifolium): Indicado contra problemas de pele, contra picadas de insetos e cobras.

MANÁ CUBIU (Solanum sessiflorum): Originário da Amazônia, é um fruto rico em fibras, fósforo, vitamina C, pectina e possui elevada concentração de Niacina (Vitamina B3), três vezes maior que a berinjela e doze vezes que a beterraba. A vitamina B3 é essencial para o funcionamento do sistema nervoso e para o bom desempenho das funções cerebrais, além de promover benefícios para a pele, auxilia na redução da taxa de colesterol, dos triglicérides e dos níveis de glicemia no sangue. Ainda contribui para um sistema digestivo saudável e no alívio de perturbações gastrointestinais.

MANJERICÃO (Ocimum basilicum): O chá das folhas é excitante, estimulante, digestivo, evita a formação de gases, anri-febril, diurético e anti-reumático. Também é usado para regularizar o ciclo menstrual.

MARACUJÁ (Passiflora alata): Conhecido por sua ação tranquilizante, antiespasmódica e diurética. Indicado em dores de cabeça de origem nervosa, ansiedade, perturbações nervosas. Contra-indicado em pressão baixa. Recentemente, a medicina popular também descobriu que a fibra da casca do maracujá é rica em pectina (fibra solúvel), um poderoso aliado no combate e controle dos níveis altos de glicemia. É considerado o alimento amigo dos diabéticos. Popularmente, a fibra do maracujá tem sido usada para auxiliar em regimes de emagrecimento e reduzir as taxas de colesterol e glicemia. A fibra do maracujá, rica em pectina, ao ser ingerida forma um gel, dificultando a absorção de carboidratos. Ela funciona como um bloqueador de gordura. A fibra do maracujá é rica em fósforo, que é fonte de renovação celular, cálcio, ferro e vitamina B3. Já foi comprovado seu efeito emagrecedor e sua capacidade de proteger o coração e baixar as taxas de açúcar no sangue. Foi realizado um estudo na Universidade Federal da Paraíba, com 17 mulheres com colesterol alto. Após 70 dias consumindo a fibra do maracujá, elas reduziram as taxas de colesterol ruim e eliminaram até 8 quilos..

MARAPUAMA (Ptychopetalum olacoides): Planta de origem amazônica, é considerada energética e afrodisíaca. Seu alcalóide tem ação estimulante do sistema nervoso central, é usada como anti-depressivo e indicada em casos de esgotamento físico, falta de libido e impotência sexual.

MASTRUÇO (Lepidium sativum): Depurativo muito empregado em doenças pulmonares, como pneumonia, bronquite e raquitismo. Alivia hematomas e feridas. As folhas são usadas em cataplamas para aliar sinusite.

MELISSA (Melissa officinalis)Calmante e sedativa, induz ao sono. Indicada em crises nervosas, taquicardia, histerismo e depressão. O chá é usado como antiácido e tônico. A melissa faz parte da composição de licores e da água de melissa. Conhecida também como erva-cidreira verdadeira, a melissaé usada popularmente para diminuir gases e cólicas, estimular a transpiração, como um excelente calmante e sedativo, é digestiva, age contra a insônia, enxaqueca, tensão nervosa, ansiedade e ajuda nos casos de traumatismo emocional.

MIL FOLHAS (Aquilea millefolium): Também conhecida como "novalgina", é uma das ervas mais importantes da farmacopéia. O chá é bom para baixar febre, aliviar dores, reumatismo, varizes, insônia, pressão alta, má circulação, males do estômago e fígado. A infusão forte transformada em cubos de gelo, pode ser aplicada sobre hemorróidas. Em temperatura morna, a infusã é usada em banhos de assento contra problemas ginecológicos.

MIL HOMENS (Aristolochia triangularis): Planta usada nas afecções cutâneas, problemas circulatórios, dormências e formigamentos, eczemas, frieira, feridas, cistite e anorexia. Tem fama de ajudar a tratar doençss venéreas.

MULUNGU (Erytrina verna): Calmante poderoso, analgésico e muito usado em manipulação, contra pressão alta. Também indicado contra insônia e ansiedade.

FONTE: GUIA DAS PLANTAS MEDICINAIS